Para acabar de vez com os pêlos: depilação definitiva

O que ontem parecia uma utopia é hoje uma realidade ao alcance de todos. Pôr um ponto final nos seus pêlos é possível, é seguro e mudará, por completo, a forma como se sente na sua pele e no seu corpo.


Independentemente de cor, sexo, espessura e rapidez de crescimento, todos sabemos o quão incómodo são os pêlos, principalmente nos meses em que mostramos mais pele! Eliminar os pêlos de forma definitiva é um dos tratamentos corporais cada vez mais procurados. A busca incessante para nos sentirmos bem com os nossos corpos tem levado mais e mais mulheres e homens a procurar a depilação permanente (ou definitiva) e não admira, as vantagens são mais que muitas! Conheça os diferentes métodos existentes, como funcionam, se se adequam ao seu tipo de pele, para fazer a melhor escolha.


Eletrólise ou Depilação Elétrica

 A técnica pioneira em matéria de depilação permanente, consiste na inserção de uma agulha no folículo........
......... piloso, seguida de uma descarga elétrica de baixa intensidade, que destrói as células germinativas responsáveis pelo crescimento do pêlo. Para além de ser necessário adaptar a corrente elétrica ao tipo de pele e pêlo de cada um, este método requer grande precisão, manual e visual, uma vez que o tratamento é feito pêlo a pêlo.
Nota máxima: uma vez que se trata um de cada vez, consegue-se uma precisão exata na remoção dos pêlos em cada sessão.


Nota mínima: pelo mesmo motivo (técnica pêlo a pêlo) torna-se um tratamento moroso e com alguma dor, mas suportável.

Perfeita para: zonas pequenas (caso das sobrancelhas e buço), mais sensíveis e zonas com poucos pêlos, pelugens, pêlos claros, brancos ou ruivos, assim como para mulheres de pele negra (especialmente os tons muito escuros).

Desaconselhada para: grávidas, pessoas que sofrem de epilepsia, hipertensão, diabetes, problemas de coagulação e portadores de pacemakers.

Resultados visíveis: os resultados são visíveis após poucas sessões, uma vez que são tratadas apenas pequenas zonas.
 
Laser



Um laser (que não é mais do que a emissão de uma luz seletiva) é passado na zona do corpo a depilar, sendo que a luz é absorvida pela melanina, o pigmento presente no pêlo que, por sua vez, absorve a energia luminosa. De seguida, esta é transformada em energia térmica e conduzida pela haste do pêlo até à célula germinativa que é destruída. Com um leque variado de lasers, estes são adaptados ao fotótipo da pessoa, sendo a sua potência e tempo de exposição à luz também reguláveis. Isto é muito importante porque interessa atingir apenas o pêlo, deixando a pele intocada.

Nota máxima: é um método rápido (no sentido que pode tratar grandes áreas do corpo numa única sessão), eficaz e praticamente indolor; existem várias técnicas para zonas e situações específicas (muitos pêlos, pêlos escuros, encravados, pele com cicatrizes de pêlos encravados, assim como para mulheres e homens de pele branca ou negra, especialmente os tons mais claros).

Nota mínima: são necessárias várias sessões (cinco a oito), dependendo da zona a depilar (as duas pernas podem demorar cerca de três horas, por exemplo); há o risco de queimadura superficial e de alterações pigmentares (manchas) se o tratamento não for administrado correctamente.

Perfeita para: qualquer parte do corpo (exceto sobrancelhas), pêlos grossos e escuros (com resultados otimizados se a mulher ou homem tiver pele clara).

Desaconselhada para: pêlos muito claros, grávidas, pessoas bronzeadas, pessoas que sofrem de lúpus, de fotosensibilidade ou que têm dificuldades ao nível da cicatrização. 

Resultados visíveis: os resultados são visíveis logo após as primeiras sessões e a duração normal de um tratamento é de três a seis sessões.

Luz Pulsada - Fotodepilação


O método de depilação mais recente, a fotodepilação foi aprovada pela Food and Drug Administration no ano de 2000. Muito semelhante ao de laser, a diferença é que este tratamento requer menos energia para fazer o mesmo. Adaptada ao tipo de pele e de pêlo de cada pessoa, são pequenos disparos de luz que destroem as células germinativas, sendo que existem vários tipos de aparelhos, com mais ou menos potência, a serem adequados a cada caso específico.

Nota máxima: relativamente à depilação a laser, esta consegue tratar áreas do corpo ainda maiores numa única sessão e é menos dolorosa, uma vez que o tratamento é administrado após a aplicação de um gel na pele.

Nota mínima: é menos eficaz que a depilação a laser e há o risco de queimadura superficial e de alterações pigmentares (manchas) se o tratamento não for administrado corretamente.

Perfeita para: qualquer parte do corpo (exceto sobrancelhas), até para peles mais morenas, sem correr o risco de queimadura.

Desaconselhada para: grávidas, pessoas que sofrem de fotosensibilidade, infecções cutâneas, portadores de pacemakers e de próteses metálicas.

Resutados visíveis: os resultados são visíveis logo após as primeiras sessões e a duração normal de um tratamento é de quatro a sete sessões.

Outras coisas que deve saber


· Importa esclarecer que o termo “depilação definitiva” tem vindo a ser substituída por “depilação permanente”. Isto porque, neste momento, não existe nenhum método que garanta (embora a taxa de sucesso ronde os 80%) a remoção total de todos os pêlos. O que este género de tratamentos permite é uma depilação progressivamente definitiva em que, com o decorrer das sessões, os pêlos vão tornando-se cada vez mais fracos, mais claros e o seu crescimento mais retardado.

· Qualquer um dos três tratamentos aqui mencionados deve ser realizado num instituto de estética ou consultório dermatológico. Pesquise para recolher referências úteis e visite várias clínicas antes de tomar a decisão final. Certifique-se que se sente bem com o espaço escolhido e com as técnicas que vão realizar as suas sessões, que devem ser profissionais especializadas na área da depilação permanente. Não avance sem ter todas as suas dúvidas esclarecidas!

· Antes de iniciar o tratamento terá que marcar uma consulta e fazer um teste para avaliar o seu tipo de pele e pêlo – só assim é que as técnicas vão poder decidir que aparelho e qual a potência que melhor se adequa ao seu caso em concreto.

· Existe uma grande disparidade de preços no mundo da depilação permanente porque existem tecnologias cada vez mais avançadas, o que quer dizer que quanto mais caro o aparelho, mais caro o tratamento!

· Apesar do seu diagnóstico inicial ter sido cinco sessões, pode ter de fazer mais uma ou duas… não se assuste! Como em tudo, cada caso é um caso e cada pêlo é um pêlo! No fundo, e no que toca à depilação laser ou fotodepilação, pode sempre contar com pelo menos seis sessões divididas ao longo de um período de um a dois anos (é necessário um período de descanso entre cada sessão), com a vantagem que não vai ter pêlos a nascer entre sessões!

· O Outono e o Inverno são as melhores épocas do ano para iniciar este tipo de tratamento, porque está sujeita a uma menor exposição solar, potenciando os resultados obtidos em cada sessão.

· No final de cada sessão ou tratamento, siga à risca os conselhos da sua técnica, que muitas vezes incluem não se expor ao sol ou recorrer a qualquer método tradicional de depilação.

· Cuidados Pós Tratamento (Eletrólise e Laser):


-Evitar exposição solar e maquiagem por 12 horas

-Evitar manipular a pele

-Lavar a região com sabonete antisséptico

-Aplicar diariamente gel cicatrizante com filtro solar

-Não usar no local cremes gordurosos









Fontes: Entremulheres
            Anita mulher












Nenhum comentário :

Postar um comentário